quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O hoje é assim. E o amanhã será igual?


Hoje, as árvores deixam cair suas folhas,

Hoje, o vento sopra com intensidade,

Hoje, o mundo grita,

Hoje, uma lágrima cai no chão,

Hoje, uma tragédia acontece,

Hoje, uma pessoa morre,

Hoje, uma criança é infeliz,

Hoje, tudo acontece e poderá acontecer!

O hoje, é estranho e imprevisível,

O amanhã será igual.

Na incerteza do mundo e da existência vivemos,

Nela morreremos, sem nunca possuir toda a verdade,

Sem sabermos realmente o que somos para onde vamos...

No mundo, contaremos todos os dias, anos, todos os minutos

Que podemos viver e aproveitar.

Mas, para que serve uma vida destinada a morrer?

Que sentido terá a vida?

Que sentido terá tudo o que no mundo existe?

Talvez sejamos actores temporariamente.

Num mundo de falsidade, de egoísmo, de materialismo,

Talvez sejamos um nada no infinito,

Porque ninguém vive eternamente a não ser o céu.

Esse infinito, para onde olhámos todos os dias, todas as noites,

Esse infinito que todos queremos alcançar.

E alcançare-mos...

Esse dia chegará rapidamente,

Como se a vida nunca tivera existido,

Como se a morte fosse a nossa única vida.

Pois a vida são dois dias, mas a morte...

Essa é eterna!

O hoje é assim, o amanhã será igual,

Se não fizermos nada para o mudar!


Postado por Vera Mónica Teixeira

2 comentários:

Verónica Fraga nº18 disse...

E somos nós que temos de alterar o Mundo, nós, os jovens, que devemos evoluir e fazê-lo evoluir também...

Lindo o poema

Beijinhos "cunhadinha"*

11ºE disse...

De facto o poema esta muito bom, parabéns Vera :)