sábado, 29 de novembro de 2008

Tenho medo da morte!




Aterroriza-me a ideia que
posso morrer!



Dizem que é a lei da
vida, que é um ciclo, que é natural e inevitável... Mas eu acho que isso é uma
teoria que funciona muito bem quando é com os outros... Para mim a morte é a
mais incompreensível, sofredora e estúpida inevitabilidade da
vida!



Tenho medo da
morte!



Tenho medo de entrar num
sono profundo, não acordar e apenas me restar um eterno pesadelo.



Tenho medo de não voltar
a sorrir, a amar, a detestar, a chorar, a ouvir, a cantar (desafinada mas a
cantar), a tocar, a correr...



Tenho medo de não voltar
a ouvir/sentir música , a olhar, a entregar-me, a perguntar, a
enganar-me, a irritar-me, a discutir, a lutar, a sonhar...



Tenho medo de não voltar
a ver os meus pais,sos meus irmãos, os meus amigos, e não lhes poder dizer
aquilo que adiei dizer, não poder olhar-lhes nos olhos e não nos poder-mos
juntar outra vez.



Tenho medo de não deixar
ninguém ... enfim tenho medo de não voltar a ter medo!
Carla Vieira Nº5

9 comentários:

11ºE disse...

Nao tenho medo de morrer, tenho medo e que morra quem mais amo.
mas a vida e mesmo assim.
Todos um dia iremos morrer :(~

Beijinhu da marina '

Verónica Fraga nº18 disse...

Sinceramente eu não tenho medo da "minha" morte, receio e sofro com a dos outros, mas nada sinto a não ser curiosidade e, pronto, talvez uma pitada de receio de não ter aproveitado a vida plenamente quando a minha hora chegar.

não devemos temer a morte, ela faz parte de nós. Temos de ser menos egoístas, se não morressemos como arranjaríamos espaço para as gerações futuras? como garanteríamos a sua sobrevivência? espero morrer deixando um legado louvável na terra, espero morrer e sentir lágrimas verdadeiras caírem sobre as minhas cinzas que serão atiradas ao mar.... não quero morrer já, obviamente, peço à força superior desconhecida que me deu vida, que me conceda longos anos na terra, mas quando o meu tempo acabar, apenas sofrerei por aqueles que ficam e sentirão saudades.... É necessário habituar-mo-nos à ideia de que não somos imortais, eu sei que parece terrível, até porque somos jovens, e os jovens sentem que não viveram por completo ainda, e todas as notícias de morte que recebemos abalam-nos e vêm agravar o medo que sentimos... A mim também me abalam, sobretudo as mortes de jovens, mas é a lei da vida, a morte faz parte da vida. E, baseada nas minhas crenças, a morte será a passagem para uma nova vida através da reencarnção!

Beijinhos*

Carla Vieira da Silva disse...

Nao concidero que ter medo da minha morte seja iguismos!
Tambem tenho medo, alias muito medo, de que os que eu gosto morram...

Eu acho que a morte faz parte de nós! Porque nós temos uma vida e somos vida, logo a morte faz parte da vida...
Sem duvida eu tenho um grande problemaa em lidar com a morte e nunca me morreu ninguem que eu conciderasse muito proximo e gostasse muito.

Tenho medo da morte porque nao sei como é! São tudo especulaçoes e crenças: o ceu, o inferno a encarnação... E tudo pode acabar ali... E eu como todos fico sem saber se faz sentido a existencia...
Eu precebo o porquê de termos de morrer! Não lido bém é com a ideia de me seperar dos que gosto, ter de reprender a viver, substituar a lembrança pela pessoa, não saber se o eu vai continuar a existir... etc

As teorias são todas muito idealistas e muito bonitas mas na prática???

11ºE disse...

Na prática eu continuo exactamente a afirmar o mesmo que disse anteriormente.... e se leste o meu comentário, eu digo que entendo perfeitamente o medo inerente à morte, e afirmo que não quero morrer já, mas é preciso resignar-mo-nos com a morte, é algo certo, não há que ter medo, a morte até aguça a curiosidade e torna-se num tema excitante: "o que irá acontecer depois disto, iremos pagar por aquilo que fizemos em vida?"

Apesar de dizeres que é tudo teoria e que na prática qualquer pessoa teria medo, eu continuo convicta de que a morte não me assusta, entristece-me obviamente, e, como disse, há sempre aquele receio de partir e não ter vivido o suficiente, de não ter aproveitado o suficiente, mas a vida é assim... se temermos a única coisa certa desta equívoca existência, então viveríamos num medo eterno e constante, e (tal como disse no post "Eu sou feliz") não podemos ter medo do futuro, não podemos ter medo de nada...

Beijinhos*

Verónica Fraga nº18

P.S. - Quanto ao egoísmo, não te estava a chamar egoísta, estava a dizer que é uma atitude egoísta o facto de querermos viver eternamente, no entanto, todos o desejam, eu gostaria imenso de contactar com as gerações futuras e com todas as novidades do futuro, sem esquecer as antiguidades do passado. (mas até hoje, apenas os vampiros conseguem efectuar essa façanha)

Carla Vieira da Silva disse...

Vampiros? Nao acredito neles...

Eu não digo que as teorias nao sejam compativeis com a pratica pra algumas pessoas!
eu não encontro compatibilidade.

E até que ponto a trstesa não se contextualiza nomedo?

beijº

Verónica Fraga nº18 disse...

(Também não acredito em vampiros estava só a brincar)

Neste caso a tristeza não tem nada a ver com o medo, até acho que em praticamente nenhum caso a tristeza está relacionada com o medo. Quando uma pessoa tem medo, mais nenhum sentimento lhe assola o peito, o medo é terrível de mais para ser repartido por outro sentimento, uma pessoa com medo até esquece de amar e depois tem atitudes estúpidas.... (e já fugimos ao tema central)

Beijinhos*

Carla Vieira da Silva disse...

Eu não concordo! tu podes estar feliz e ter medo, e ter medo e estar infeliz.

( pois fugimos, mas para quem começou a falar de touradas e acabou a falar nas torres gémias nao está muito mal...)

beijº

Verónica Fraga nº18 disse...

Sim, mas tu não falaste de infelicidade ou felicidade, esse sentimento é a raiz de todos os outros... tu falaste em tristeza. triteza, do meu ponto de vista, é diferente de infelicidade/felicidade... às vezes estou triste, mas nem por sombras posso afirmar que sou infeliz, a palavra infeliz é muito profunda, a palavra infelicidade utiliza-se quando estamos num beco sem saída, a palavra tristeza pode ser utilizada quando algo de mau e passageiro sucede....

E repara que eu disse "em praticamente nenhum caso", definitivamente no caso da infelicidade/felicidade não se aplica aquilo que disse. Podemos ter medo e ser infelizes ou felizes, mas não acredito que uma pessoa com medo de morrer fique triste por causa disso, mau era se ficasse, desperdiçaria a vida toda a pensar numa tolice dessas.... a vida deve ser vivida, mesmo com esse terror dentro de nós, não é o medo que nos deixa tristes, nem pensar.....

Beijinhos*

11ºE disse...

Vai praqui um debate SIM SENHOR.

VOCES É QUE SÃO GRANDES MULHERES.
GRANDES LUTADORAS.
ESPERO VER-VOS A LUTAR POR ESTE PAÍS PORQUE VOCES TEM PERFIL PARA ISSO.
EU cá fico sonhando no meu mundo "filosofico"

Beijinhu meninas,

marina nº11