quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Valorização




E depois de uma pausa um tanto ó quanto extensa verificam-se irregularidades e vê-se despedido um operário que após um longo tempo de trabalho vê a sua conquista quebrada em mil pedacinhos de porcelana fina...




Ouvido assim, até se parece tratar de uma fábrica onde por um erro o funcionário é demitido.Sendo que, não é propriamente um sentido literal que estou a dar a esta frase podemos ,então, deparar-nos com aquelas tretas do costume- 'errar é humano', 'todos merecem uma oportunidade', 'ás vezes fazemos coisas sem pensar' patatim patatam e por aí fora; que este operário talvez usasse para voltar a tomar o seu posto.




Mas para quê escalfarmos o nosso suor sem certezas?hoje em dia tudo precisa de provas para se tornar viável mas, afinal, onde estão elas??!




Porque haveremos ser um mero operário se podemos ser muito mais?ou então, porque haveremos resignar o nosso corpo e a nossa alma a uma coisa que não nos fará feliz ou nos matará todos os dias?por necessidade?talvez..mas não haverá outra saída?porque escolher aquela onde ninguém nos reconhecerá pelo nosso esforço?




Ninguém nos pode julgar quando faz coisas iguais ou piores, ninguém nos pode criticar pejorativamente, ninguém nos pode castigar nem tornar a nossa vida um fardo!




Ninguém pode nem tem o direito de fazer alguém infeliz...


-Então e a gratidão do patrão??não salvará este operário?


-uiiiii...onde já vai a gratidão!!
Helena nr7

1 comentário:

11ºE disse...

Excelente texto!!! Amei :)


Vera Teixeira