sábado, 7 de fevereiro de 2009


Era uma vez uma rapariga que tinha milhentos sonhos.


A sua mente era um emaranhado de utopias, vivia de todas as imagens imaginárias que a distraíam, ela simplesmente não conseguia parar de sonhar!


Quando acordava não se limitava a pensar no teste que iria ter, ou na roupa que vestiria, ela começava logo a magicar: sonhava com o passado e como adoraria sair deste século e retroceder umas boas centenas de anos; sonhava com uma vida de palcos e representação; sonhava com histórias e histórias, personagens desconhecidas, heróis criados pela sua mente; sonhava, ela só sonhava....


E quando se perdia e tentava desvendar minuciosamente esse Éden, vivia e sentia com todo o coração. Ela descobriu que apenas era feliz a sonhar, só a sonhar. A realidade para ela não importava, nada do que sentia fisicamente importava, apenas os sonhos a preenchiam e sem eles não era nada....


Ela queria adormecer e passar a vida num sonho eterno e profundo, sem ser necessário abstrair-se daquilo que realmente amava, simplesmente sonhar.....


Mais tarde essa rapariga descobriu não ser saudável nem jubiloso encher o pensamento de sonhos impossíveis, que com o tempo se vão afastando das mãos das suas mãos. Mas agora já é tarde e ela não se consegue libertar do poder opressor dos sonhos que a preenchem cada vez mais, e a afastam do Mundo material elevando-a a uma dimensão desconhecida pelos restantes mortais, uma dimensão que apenas ela conhece e se encontra escondida num desses sonhos que a rapariga tão amavelmente construiu.....


Já é tarde e a rapariga não consegue libertar-se, não consegue limitar-se a esta vida insossa, não consegue nem deseja.... Não a libertem!!!!!!!!!!!!!


E a rapariga continua a sonhar e a sonhar, mesmo quando todos pensam que tem os pés bem firmes na Terra, ela apenas sonha, todos os dias a todas as horas, porque, apesar de ser feliz, esta simples vida Humana não a agrada..... Não a agrada de todo!


Verónica Fraga*

1 comentário:

sandra disse...

Adorei Verónica! :D

lindissimo*

escreves mesmo bem! :D