sábado, 7 de março de 2009

Como vejo o mundo



Vejo o mundo no seu todo, como o infinito. O infinito onde sou apenas um ser como tantos outros. Um ser que vive, que corre, que salta e pula de felicidade, que ama e que ultrapassa os obstáculos da vida sempre com um sorriso.
Vejo-o como o infinito que por mais que corra e que o tente alcançar, nunca alcançarei, porque o mundo é como um cofre que nunca ninguém saberá como ele verdadeiramente é. Nunca ninguém poderá abrir esse cofre, por isso é que cada um de nós vê o mundo através do que os sentidos, as experiências e os sentimentos nos dão.
O mundo é o local das incertezas, o local onde existe uma diversidade enorme de pessoas, de seres vivos, de paisagens, enfim… é o local onde me sinto profundamente bem e mal, onde choro e grito de felicidade é o local onde nasci e o local onde morrerei (no meu mundo, no meu cantinho).
Mundo cheio de invejas, de hipocrisias, de falsidades, de mentiras, de traições…m
as, por outro lado, mundo cheio de alegria, amor, carinho, felicidade e amizade… Mundo odiado e amado…
Apesar de existirem anjos e diabos em ti, quero-te porque me acolhes e porque é em ti que também encontro felicidade! Essa felicidade que os que me rodeiam me dão e fazem com que nasça em mim um sorriso.
Em ti, tenho o meu cantinho, cantinho onde sorrio, onde sou muito feliz, onde amo, onde me divirto, onde choro, onde grito, onde tudo!
Como disse, Amo-te e Odeio-te! Contudo ultrapassarei sempre da melhor forma todos os obstáculos que me colocares, só me farão mais forte.


Vera Mónica Teixeira.11ºE
Nº17

2 comentários:

sandra disse...

bem, estava-me a apetecer escrever qualquer coisita, mas não sabia muito bem sobre o que escrever... então decidi escrever sobre o tema que aqui colocaram... 'como vejo o mundo.'

Vejo o mundo como um sítio onde andam milhões e milhões de pessoas a correr de um lado para o outro, sempre apressadas, sem tempo… pessoas que acabam por não dar valor àquilo que o mundo nos dá, e àquilo que deveria ser prioritário nas nossas vidas. Com tanto stress, as pessoas não têm tempo para dar amor, ou até mesmo dizer um ‘amo-te’ à pessoa mais importante. Uma simples palavra que poderá colocar um sorriso na cara de uma pessoa.

Não há um mundo certo. Cada pessoa tem o seu mundo ou os seus mundos. O nosso mundo muda sempre que adquirimos sentimentos novos… sempre que tomamos decisões (sejam elas certas ou erradas)… o nosso mundo, é o reflexo daquilo que sentimos. Isto porque se nos sentirmos mal, se estivermos no fundo do poço, acharemos o mundo mau, o mundo cruel, o mundo cheio de injustiças; mas por outro lado, se estivermos bem com nós próprios, se estivermos realmente felizes, acharemos o mundo perfeito, belo, lindo, encantador, maravilhoso…

neste momento, o meu mundo não é o melhor... é um mundo feito de escolhas... não digo que é um mundo injusto, porque ele dá-nos a oportunidade de escolha... nós é que temos de a saber fazer. E feita uma má escolha, não haverá muito a fazer, tudo vira-se contra nós.


Deixo aqui também uma frase, dita por Einstein, que eu gostei.
“Pela experiência quotidiana, concreta e intuitiva, eu descubro-me vivo para alguns homens, porque o sorriso e a felicidade deles condicionam-me inteiramente, mas ainda para outros que, por acaso, descobri terem emoções semelhantes às minhas.”


obrigada por perderem tempo a ler este comentário estupido. ;)

Sandra Silva* (11ºB)

11ºE disse...

Está muito bem... realmente é verdade... só não concordo com uma coisa: Nem sempre por estarmos bem, o nosso mundo é o melhor... pode ser mais feliz, mas na minha opinião não pode ser o melhor... Porque o melhor necessita de muita experiência e de tantas outras coisas...Coisas que por vezes este mundo injusto mostra-nos que elas não existem, ou então não são como queríamos...
Mas parabéns está muito bem.


Vera Teixeira.