sábado, 11 de abril de 2009

Nada, simplesmente nada


Pegou delicadamente numa flor.
Olhou-a com curiosidade de miúda,
E soprou-a esperando pelo embalo do vento.


A flor que era tudo,
Passou simplesmente a nada,
Por causa dum sopro,
Repentino e suave.


A brisa encarregou-se de levar,
Os pequenos pedaços de flor,
Que aqueles lábios,
Sopraram, sem qualquer motivo.


Tudo isto foi um momento,
Um momento que agora é nada,
Um momento pequeno, éfemero,
Que já foi e que não voltará a ser...
Poema feito pelo grandioso Nuno Lopes, inspirado na fotografia.
Na foto: Ana Pimenta
Fotografa: Marina Sophia.
Postado por Ana Pimenta nº3

7 comentários:

Anónimo disse...

eu sou o autor d poema. espero q gostem. pl menos nem q seja d foto q é msm mt linda.

bjinh pa ti ana e obrg por teres postado aqui o meu poema :)

sandra disse...

eu gostei mesmo, tá lindo. :D
e a foto mesmo Bonita :)

11ºE disse...

Lindooooo sem palavras...

Verónica*

11ºE disse...

De nada menino Nuno, tenho que mostrar o teu talento! =)

Um boa Páscoa para voces *

Beijinhos Ana Pimenta

Anónimo disse...

Parabéns Nuno, belo poema. A foto tbm tá bem legal, só acho que a modelo da foto deveria parar de se alimentar de flores e comer algo com mais "sustança". Brincadeira, ficou show de bola ;D!

Ass: Pedro

11ºE disse...

Mas que Lindo Pimenta:)

Beijinh Carla

11ºE disse...

Ahahahah x)
Vou seguir o seu conselho senhor Pedro ;D

Pimenta