domingo, 30 de novembro de 2008

Quem me dera viver uma história como a do Titanic, quem me dera estar quase a morrer e virem-me salvar, quem me dera viver esta historia de sonho.
Quem me dera.
Quem me dera.
Quem me dera.

Marina nº11
"Meu amigo não é aquele que pensa como eu mas aquele que pensa comigo "
Prof Dilma.



Já viram a quantidade de pensamentos que aqui ficam guardados no blog, a propósito da ultima aula em que tivemos presente a outra turma do 11ºH? Já se aperceberam o quanto foi bom ter a professora Dilma sempre a lançar as suas frases encantadoras , sempre com um sorriso de satisfação pelo que faz. Simples frases ficaram nas nossas cabeças e deixaram-nos a pensar, muitas a chorar, o que é normal pois uma simples frase leva-nos a muitas outras coisas das nossas vidas, muitas vezes tristes.

Esta frase é brilhante, na verdade ninguém necessita de um amigo que seja a nossa copia, que pense e fale como nós, que tenha os mesmos gostos que nós, pelo contrario nós precisamos é de um amigo que percorra os nossos passos , que nos ajudem em tudo independentemente das controversas que possam existir. UM AMIGO TEM QUE ESTAR LÁ SEMPRE.



Marina nº11

sábado, 29 de novembro de 2008

Segundo o livro de História... (pensamento iluminado)



















“A mulher deve estudar o espírito do homem, não abstractamente o espírito do homem em geral, mas o espírito dos homens que a rodeiam, o espírito dos homens aos quais está submetida, quer pela força da lei, quer do costume. É preciso que ela aprenda a penetrar nos seus sentimentos, pelas suas palavras, pelas suas acções , pelos seus olhares, pelos seus gestos. É preciso que saiba transmitir-lhes os sentimentos adequados, sem que eles disso se apercebam.
Eles, filosofarão melhor do que ela sobre o coração humano; mas ela lerá melhor do que eles o coração dos homens. Compete às mulheres, por assim dizer, encontrar a moral experimental; a nós, transformá-la num sistema. A mulher observa, o homem raciona.”


Rousseau, filosofo iluminista francês
Susana nº14

O caminho


Na tela da vida somos nós que pintamos o nosso caminho. Temos de o fazer de uma forma cuidada porque somos nós que vamos caminha sobre ele.
Carla Vieira da Silva

Um passo




"Uma viagem de 1000 milhas começa com o 1º passo!"







professora Dilma

Nada fica


Nada fica de nada. Nada somos.

Um pouco ao sol e ao ar nos atrasamos

Da irrespirável treva que nos pese

Da humilde terra imposta,

Cadáveres adiados que procriam.





Leis feitas, estátuas vistas, odes findas —

Tudo tem cova sua. Se nós, carnes

A que um íntimo sol dá sangue, temos

Poente, por que não elas?

Somos contos contando contos, nada.



Ricardo Reis (Fernando Pessoa)
Na foto: Ana Pimenta & Verónica Bernardo


Ana Pimenta nº3

Limitados horizontes


"Somos feitos para extensões mais vastas do que os limitados horizontes terrenos."
BY:
Laurigaudie
A felicidade por vezes está no reconhecimento de nós próprios!
Somos capazes e dotados de fazer tantas coisas, e perdemos tempo em nos preocupar-mos com o que não podemos fazer.
Temos limitações, é verdade! Nao somos perfeitos! Mas também é verdade que podemos aperfeiçoar as nossas qualidades. E igualmente podemos contornar as nossas limitações em vez de nos resignar-mos no fracasso.
Fechar os olhos, sonhar, ganhar asas e voar fintando os "limitados horizontes terrenos", isto em busca da felicidade
Carla Vieira da Siva

Tenho medo da morte!




Aterroriza-me a ideia que
posso morrer!



Dizem que é a lei da
vida, que é um ciclo, que é natural e inevitável... Mas eu acho que isso é uma
teoria que funciona muito bem quando é com os outros... Para mim a morte é a
mais incompreensível, sofredora e estúpida inevitabilidade da
vida!



Tenho medo da
morte!



Tenho medo de entrar num
sono profundo, não acordar e apenas me restar um eterno pesadelo.



Tenho medo de não voltar
a sorrir, a amar, a detestar, a chorar, a ouvir, a cantar (desafinada mas a
cantar), a tocar, a correr...



Tenho medo de não voltar
a ouvir/sentir música , a olhar, a entregar-me, a perguntar, a
enganar-me, a irritar-me, a discutir, a lutar, a sonhar...



Tenho medo de não voltar
a ver os meus pais,sos meus irmãos, os meus amigos, e não lhes poder dizer
aquilo que adiei dizer, não poder olhar-lhes nos olhos e não nos poder-mos
juntar outra vez.



Tenho medo de não deixar
ninguém ... enfim tenho medo de não voltar a ter medo!
Carla Vieira Nº5

Eu sou feliz

Tenho medo, tenho muito medo....

Todos os dias acordo com os beijos da minha mãe, todos os dias tomo o pequeno almoço na companhia de uma família unida, todos os dias chego à escola e tenho sempre alguém com quem me divertir, com quem me rir, com quem falar..... Quando chego da escola o mesmo acontece!!!!!!

Tenho problemas, naturalmente, mas ignoro-os pelo simples facto de medir os prós e os contras da minha vida e descobrir milhentos prós.... Não entendo!!!!!!

Sou tão feliz, sou imensamente feliz por ter tanta gente bondosa ao meu lado, que me apoia, que me dá a mão; por ter uma família que está sempre ali, sou tão feliz por ser eu..... Tenho medo, tenho muito medo!!!!! A minha vida é, de facto, irreal. Apesar de não ter tudo aquilo que quero, apesar de nunca ter amado, apesar de não viver num belíssimo "Conto de Fadas", a última coisa que posso fazer é chorar, a última coisa que posso fazer é queixar-me, porque eu não tenho de que me queixar, porque aquilo que me faz infeliz deve ser esquecido e apagado. Meu Deus, meu Buda, meu Oden, minha Epona, minha Minerva! Porque é que eu sou tão anormalmente feliz? Tenho medo, tenho muito medo desta situação se reverter, de perder as forças que tenho para lutar contra aquilo que me abate, tenho medo de deixar de conseguir fazer aquilo que mais amo na vida, de perder os dons com que nasci (porque todos temos milhentos dons dentro de nós, o difícil é encntrá-los)... Tenho muito medo!!!!!!!

Medo? O medo abate-me, e eu não posso deixar-me ir abaixo, há outras pessoas numa situação pior do que a minha que precisam de mim, eu tenho que ser forte e esquecer aquilo que me entristece para poder apoiá-las......

Perdi o Medo, vou viver o presente e o agora, não vou pensar nas desgraças que o futuro me poderá reservar, apenas quero que o Futuro saiba que, por pior que seja, nunca me deitará abaixo!!!!!!!

Obrigada àqueles que me fizeram entender isso!!!!!

Verónica Fraga nº18

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Estou com problemas em sentir, será normal?


Sinto apenas as lagrimas.


Sinto apenas o vazio.


Queria sentir o Amor.


Mas não sinto nem nunca sentiriei.





Ser comparado aos outros é a pior coisa do Mundo.


Deixem-me Fugir.





marina nº11


Um pedaço meu, uma cor minha, uma flor minha, uma fotografia minha.

Foto by:Me

Marina nº11

Desabafo de incertezas...


Estou a escrever, porque quero deixar nesta folha de papel todo o meu sofrimento, todas as minhas desilusões, todos os meus medos, todos os meus fracassos, todas as minhas incertezas, tudo o que me perturba.

Sinto-me perdida, sem direcção. Não sei o que fazer, o que fazer, o que pensar, o que sentir, não sei nada e nem sei se quero saber, pois esse querer pode levar-me ao sofrimento, e eu não quero.

Chega de viver uma vida sem sentido, sem razão... Quero ter a certeza do mundo onde vivo, a certeza dos meus e dos teus sentimentos, da minha e da tua existência, de tudo o que me rodeia a mim e a ti!

Quero viver sem ter de questionar o inquestionável, quero viver sem sofrer,sem chorar, sem duvidar...

Porque temos de viver sempre na incerteza? Porque não podemos possuir a verdade? Porquê?

Bem, se todos estes porquês existem, devem ter razão de ser. Mas é tão difícil compreender a sua existência! Escrevo todos estes desabafos, para que um dia possa encontrar a verdade de todos estes porquês, e para que possa responder a esta carta de uma forma mais justa e digna, pois não é digno nem justo viver sem certezas, viver sem verdades absolutas, viver a questionar e a ser questionado.

Agora, no fim de escrever esta carta, vou atirá-la ao mar, para que a única possuidora da razão da nossa existência possa levar estes pensamentos para bem longe, de maneira a que nunca se cruzem novamente na minha vida.


Postado por: Vera Teixeira Nº17

A propósito do filme de Moral

Este sim é o verdadeiro!

Vejam só, como a palavra deste homem, a sua força e a sua coragem fez mudar todo o preconceito destas pessoas em relação a um estilo de danças ousadas. O amor destas duas pessoas de mundos tão distintos, e a paixão pela dança que os uniu.

:) Enjoy!

Susana nº14

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

"A vida é bela, nós é que damos cabo dela"












A vida é feita de altos e baixos, momentos maus e momentos bons, mas há momentos que nos mostram que a magia pode existir e algumas vezes, que existe realmente, é a alegria de estar vivo mas também a alegria de viver...
Sim, porque é diferente estar vivo e viver. Quantas pessoas passam pela vida sem saber o que é viver, sentir, Amar, ser Amado, apenas estão vivos!


Felizes aqueles que sabem o que é Amar, que já sentiram o Amor pelo menos uma vez na vida, que já sofreram e choraram por Amor, aqueles que põe o bem de outrem à frente do seu próprio bem, pois esses sabem o que é viver e até mesmo sobreviver!

A vida é como o tempo, ora faz frio, ora faz calor, ora temos Sol, ora temos chuva. Há quem adore o Sol e não passe sem ele, há quem adore andar à chuva e até mesmo rebolar na terra molhada.

A vida é feita de equilíbrio, é nas compatibilidades, visões, sonhos, que estão as melhores coisas da vida, e é nas pequenas diferenças que está o sabor de viver...

Vivam a vida, não estejam apenas vivos, a vida é feita para se viver :)


Susana nº14

EU QUERIA SER...


Eu queria ser parte de ti...

Eu queria estar dentro de ti...

Sentir por ti, chorar por ti...


Ser o encontro dos teus pensamentos,

A confiança do teu coração.


Eu queria perder-te no teu sono,

E acordar no teu infinito...

poder amparar-te com um olhar,

E dar-te a solução que procuras...

Entrar nos teus sonhos,

E fazê-los realidade...


Eu queria ser mais que amor.

eu queria ser o teu próprio coração!


Queria entristecer-me por ti,

Para nunca te ver sofrer...

Queria tirar-te do mundo,

E colocar-te na vida...

Para caminhares ao meu lado,

Para a longa permanência da existência.


Queria ser parte de t i,

Queria ser a pessoa que procuras!
Oi...

Tens que confiar em ti própria e confiar nos outros. Se estás com medo ao amor não o tenhas, pois tens tudo para ser FELIZ. Tens uma pessoa fantástica a teu lado.
Se tens saudades... ou ambos sentem saudades... é bom,... é porque vos amais!

De: Marisa
Turma: H
Ano:11º

Para: Vera

Ser amigo não é coisa de um dia!

São actos, palavras e atitudes

Que se solidificam

No tempo e não

Se apagam mais!

Amor

Amor
O amor é simples…
…mas o amor é muito complexo!
Amar é querer ter alguém junto de nós, amar é estar pronto para esse alguém sempre, amar é dar sem esperar nada em troca, amar é perceber, amar é sentir saudades, amar é contar os segundos para estar com a ‘tal pessoa, amar é entregar-se sem receio, amar é participar, amar é partilhar, amar é desabafar, amar é sentir a presença de alguém mesmo quando esta longe, amar é amar!
Para amarmos uma pessoa temos que primeiro amar a nós próprios, temos que saber a importância que a ‘tal pessoa tem realmente para nós, se assim não for, o sentimento, na verdade, não passa de paixão.
Paixão, aquele ‘fogo que acende dentro de nós, aquele bater mais forte do coração quando estamos perto do “alguém”, aquele brilho nos olhos, aquela vontade de que “aquele” momento nunca acabe.
E então, quando sabemos se é amor ou paixão?
Este é o grande problema, cada vez mais as pessoas não o sabem distinguir, talvez por medo de descobrirem que na verdade nunca amaram ou nunca foram amados, talvez por agirem da forma errada, talvez pelas personalidades e gerações ou simplesmente por não saberem amar!
O amor é tão lindo, o amor é maravilhoso, o amor é inexplicável, o amor é o melhor sentimento que alguém pode sentir, o amor transforma uma lágrima num sorriso, o amor transforma um aperto de mão num beijo………mas também pode transformar um sorriso numa lágrima, o amor também dói, o amor machuca por dentro, o amor deixa marcas, cria esperanças que nos levam ate ao fim, até ao impossível e é impossível não lutar por quem se ama, seja um namorado (a), seja um grande amigo (a), seja um parente, uma mãe, um pai…o amor é diferente para cada um, mas o seu tamanho é para todos incalculável!
A paixão é o momento, a paixão vive-se no presente apenas, esquecendo-se o passado e sem pensar no futuro, a paixão é curtir, a paixão é não ligar ao que está a volta, a paixão não faz “sofrer eternamente”!
A paixão acaba…
…o amor não!
Será que as pessoas ainda sabem amar? E será que ainda o querem fazer?
É triste…hoje em dia já ninguém se importa, já não querem amar, querem curtir! As pessoas tem medo de amar, de sofrer, as pessoas já não arriscam, já não tentam, já não se entregam ao sentimento, como fizeram Romeu e Julieta, como faziam as pessoas no passado. E ainda tem pessoas que querem amar mas dizem já não ter tempo…as suas vidas cada vez mais ocupadas, umas preocupadas com empregos, outras com fama e tantas outras coisas que acabam por se esquecer do maior sentimento, esquecem o quanto é importante amar e ser amado, esquecem o quanto é importante dedicar tempo ao amor!
Mas, ainda mais triste são aqueles que estão sozinhos que não podem amar, que não têm quem os ame!L
Não fuja desse sentimento, machuca, faz sofrer, marca para toda vida, mas é lindo, faz bem a saúde, alimenta o coração e pense “porque fugir se há tantas pessoas que andam a procurar dele e não o podem ter?”, porque não aproveitar um sentimento tão maravilhoso? Por medo? Por insegurança?
O amor também traz muita felicidade, sem amor a vida não faz sentido, por isso não o deixe escapar!!!

Mychele Mattos Amaral

Resumo da (peculiar) aula de dia 27/11/2008

No dia 27 de Novembro de 2008, duas turmas, duas disciplinas, duas professoras se uniram numa cumplicidade única. Como disse a professora Diana Tavares: "Juntou-se o útil ao agradável".


Foi com espanto que a turma do 11ºE viu entrar, na sala onde supostamente desfrutariam de uma comum aula de Filosofia, os alunos do 11º H, que teriam, com a professora Dilma, uma aula de Animação Sociocultural. Ambas as turmas se juntaram, pois os temas tratados eram semelhantes: Deontologia, ética, moral, valores.


A aula seria diferente, a expectativa era avassaladora, o tema intrigante...


Começamos pela definição de Deontologia, a qual, chegamos à conclusão, é o estudo dos deveres especiais de uma situação, particularmente, dos deveres das diversas profissões. Entre as tentativas de encontrar uma definição (a palavra não é propriamente fácil e conhecida), a professora Dilma presenteava-nos com frases de um fascinante teor filosófico, frases que nos fazem pensar, reflectir, não por um curto período de tempo, mas durante anos. Como exemplo destas preciosidades temos: "Quanto maior é a liberdade, maior é a responsabilidade", e não há como refutar esta frase, realmente, como foi dito durante a aula, a liberdade é um bem indispensável, mas não pode ser confundida com libertinagem, deve ser utilizada dentro do respeito pelos deveres que constituem uma sociedade e nos fazem viver com os outros.


Mais à frente lemos um texto de Fernando Savater "A consciência é o antídoto para a imbecilidade", nele descobrimos o que é ser realmente imbecil, e o facto de ser imperativo fugirmos dessa imbecilidade que, tal como afirmou a professora Diana Tavares: "É a doença da Sociedade". Imbecis são aqueles que seguem um rebanho, que seguem um grupo e deixam as suas próprias ideias de parte, que não são capazes de se impôr, acabando por não definir absolutamente nada para a sua vida, a qual se torna desprovida de qualquer sentido, e muitas vezes é caracterizada por um egoísmo quase mórbido. Nesta parte a professora Dilma referiu que "seguimos um rebanho" quando ignoramos o verdadeiro sentido da Amizade: "Meu amigo não é aquele que pensa como eu, mas aquele que pensa comigo", a amizade não pode representar a escravidão de espírito, de alma, de ideias, mas sim a liberdade de opinar quando bem entendemos, de seguir aquilo que achamos mais correcto, mesmo que o nosso real e verdadeiro amigo esteja contra isso.


Falamos do facto de ser um dever deixarmos a preguiça e o comodismo de lado, de termos de ser revolucionários e agir "Uma viagem de mil milhas começa com o primeiro passo", frase muito bem contextualizada pela sapiente professora Dilma. É necessário esquecer aquele individualismo que os jovens tendem cada vez mais a adquirir, é necessário pensar nos outros, e a revolução referida em cima deve ser de uma importância geral e não singular.

Referimos também a importância do silêncio na reflexão, e o facto do Homem não poder viver sem ele, nem que seja apenas por escassos segundos. O silêncio ajuda-nos a entender aquilo que fizemos de mal e a achar soluções para a nossa própria absolvição.

Para o fim deixo aquilo que mais me tocou durante toda a aula. Não sei se os meus colegas e amigos partilham comigo esta preferência, e seria bom se discordassem pois não pertencemos a um rebanho, mas a uma sociedade que pensa! Deixo para o fim os Valores.

E o que são os valores afinal?

- Os valores são os princípios orientadores da acção, são eles que nos "comandam".
Apesar de se associar esta palavra aos objectos que tão apaixonadamente ou, até, desapaixonadamente possuímos, os valores são, na realidade, qualidades potenciais, não têm peso, cor, ou forma. Toda a turma concordou com esta afirmação.

Os principais valores das sociedades actuas são a Igualdade, a Liberdade, a Solidariedade, a Paz, a Coragem, a Amizade,... tal como foi dito anteriormente, valores sem cor, sem forma, sem peso.

Nas duas turmas considerou-se o amor como um valor primordial e, realmente, o amor conduz-nos a respeitar a Igualdade entre os Homens, a Liberdade, a agirmos com Solidariedade, a promovermos a Paz, a Coragem e a Amizade... Isto são os chamados valores espirituais, o oposto dos valores materiais.

Verónica Fraga nº18

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A obra de arte exprime o real

O sentimento, ou a experiência estética, é o de uma madrugada em cada obra. Há um dia que nasce em cada obra mas só e se e quando houver um olhar que se submeta ao horizonte azul que o anuncia, mas só e se e quando for o olhar de um corpo que, ao sentir-se anunciar nesse mesmo horizonte, nele por isso mesmo também nasce - porque ele é também rigorosamente o dia que nasce.

Cada obra estética contemplada (ou lida) permite ao ser humano alargar o horizonte a partir do qual percebe o Mundo. Por isso, podemos dizer que há um novo começo (amanhecer) em cada obra e o ser humano torna-se outro (renasce) ao contemplá-la.
Mónica Silva Nº8 11ºH

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Amizade...

Sentimento lindo...
Mas tão dificil de definir!
A verdadeira amizade,
É carinho que dás a uma pessoa, sem quereres ada em troca,
É a sinceridade acima de tudo, mesmo que se o que se tiver de dizer
seja doloroso,
É o companheirismo entre duas pessoas,
É o estender de uma mão em todos os momentos da vida,
São os conselhos que só têm como fim a felicidade do outro,
É todo um conjunto de acções que expressam o amor e verdadeira
amizade que se têm por alguém.
Por isso, se és meu verdadeiro amigo,
Quero dizer-te que estarei sempre disponível para ouvir
teus desabafos,
Estarei ao teu lado em todos os momentos da tua vida,
Ajudar-te-ei sempre que precisares,
Permanecerei contigo sempre no meu coração,
Fazendo uma promessa:
Farei de tud, para que com o passar dos anos, nossa amizade não
se torne monótona sem convivência,
Farei de tudo para que estejamos sempre em contacto,
A fim de podermos ultrapassar as dificuldades da vida, ajudando-nos mutuamente.
Estarás sempre comigo, e estarei sempre pronta a ouvir-te a
estender-te meo ombro amigo, em todos os momentos da tua
existência!
Se és meu verdadeiro amigo, não quebres nada que caracteriza a
verdadeira amizade!

Postado por: Cármen Júlio
nº6

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Sorri



Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos
Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz



Sorri...
Ainda que o teu sorriso seja triste
Porque mais triste que o teu sorriso
É a tristeza de não saber sorrir.

Anónimo
Susana nº14

Beauty&beast vs Pocahontas




Vejam este vídeo!


:)) Esta musica é deslumbrante.


Pocahontas foi a história que mais me encantou na minha infância. A maneira de ser desta índia, a sua simplicidade, a beleza, a ligação com a natureza fascinam-me. Assim como, a sua paixão por John Smith, a distinção entre dois mundos distintos mas amores profundos e sinceros. Pocahontas ouvia o seu coração e por vezes ouvia a sabedoria da natureza.


O filme "Pocahontas" foi o único filme da Disney inspirado numa história real, é baseado nos mitos sobre a vida de Pocahontas, uma linda índia. A verdadeira Pocahontas se chamava Matoaka (Pocahontas era um apelido de infância que significava “pequena travessa”) e nasceu em 1595.

Este vídeo faz-nos reflectir sobre a atitude das pessoas que agem e só depois pensam, das pessoas ambiciosas que não olham a meios para atingir determinados fins!


->Pocahontas com o seu dom da palavra consegui persuadir o seu povo indigna, fazendo com que estes não lutassem contra os exploradores Ingleses, assim como John Smith fez o mesmo com o seu exercito de colonos para que não tomassem a terra aos índios.


E por fim,

O amor vence tudo. :D

Aqui vai a letra:


"Tu achas que sou uma selvagem
E conheces o mundo
Mas eu não posso crer
Não posso acreditar
Que selvagem possa ser
Se tu é que não vês em teu redor
Teu redor
Tu pensas que esta terra te pertence
Que o mundo é um ser morto mas vais ver
Que cada pedra, planta ou criatura
Está viva e tem alma, é um ser.
Tu dás valor apenas as pessoas
Que acham como tu sem se opor
Mas segue as pegadas de um estranho
E terás mil surpresas de esplendor
Já ouviste um lobo uivando no luar azul
Ou porque ri o lince com desdém?
Sabes vir cantar com as vozes da montanha...?
E pintar com quantas cores o vento tem
E pintar com quantas cores o vento tem
Vem descobrir os trilhos da floresta
Provar a doce amora e o seu sabor
Rolar no meio de tanta riqueza
E não querer indagar o seu valor.
Sou a irmã do rio e do vento
A garca, a lontra são iguais a mim
Vivemos tão ligados uns aos outros
Neste arco, neste círculo sem fim
Que altura a árvore tem?
Se a derrubares não sabe ninguém.
Nunca ouvirás o lobo sobre a lua azul
O que é que importa a cor da pele de alguém?
Temos que cantar com as vozes da montanha
E pintar com quantas cores o vento tem
Mas tu só vais conseguir esta terra possuir
Se a pintares com quantas cores o vento tem...


Susana nº14
Porque que não me consigo expressar? Tenho um nó na garganta, dói e tudo sabiam? Eu quero voltar atrás, eu sou uma apaixonada, vocês vêem isso ? Digam-me vêem? Eu sinto tudo dentro do coração, mas não consigo demonstrar isso.
Será que minha mãe sabe que a AMO?
Será que ela sabe que tenho medo de a perder?
Será que ela sabe que ela me deixa muito mal quando ficamos mal?
Será que ela sabe que é a pessoa mais importante da minha vida?

Porque ñ lhe conto que gosto daquele rapaz, ou então que tenho medo de beijar aquele rapaz, ou mesmo que quero ter relações sexuais com o meu namorado e quero tomar a pílula, (Questões que todos se sentem com vontade de fazer )
Mas porque que ñ choro no ombro dela? Porque que ela n me conta uma historia? Ouve-me Mãe eu Amo-te ,acredita eu Amo-te só que eu ñ sei se tu sabes isso.
~Vês eu aqui consigo dizer tudo porque é o o meu coração que esta a falar,
Olha para os meus olhos -Espero que saibas que te Amo.



Eu quero ir para o colo da mamã novamente-Eu quero.
Amo.Eu Amo.
Questoes puramente filosoficas que fazem um nó na cabeça, uma dor no peito e uma lagrima no canto do olho.

francesa
Hoje sinto-me pequenina.

marina

domingo, 23 de novembro de 2008

Ilusão de Óptica


Consegue visualizar o bebé?

- A vida é mesmo assim, uma perfeita ilusão de óptica. Quando pensamos conhecer alguém ou algo, "puff", esse alguém ou algo materializa-se, e descobrimos que o passado era apenas ilusão: uma perfeita Ilusão de Óptica!

Verónica Fraga nº18

sábado, 22 de novembro de 2008

"Guarda as laranjas num cesto, leva-as para casa e faz um bolo de saudades para esquecer a mágoa. E nunca deixes de sonhar que, um dia, tal como eu, vais encontrar alguém mais próximo e mais generoso, que te ensine a ser feliz, mesmo com todas as pedras que encontrarem no caminho. Larga as laranjas e muda de vida. A vida vai mudar contigo."-
Margarida Rebelo Pinto.


marina nº11

    1. Onde esta o cavalheirismo de hoje em dia?
    2. Será que esta escondido?
    3. Será que ele existe mesmo?
    4. Ou será que desapareceu?
    5. Acabou?
    6. Não, ele é o Homem mais cavalheiro que conheço-Ele é um verdadeiro homem, não é o loiro de olhoso azuis todos jeitoso, é o homem que sabe conversar, ouvir, estar atento, sabe ser carinhoso e Sim este é o verdadeiro cavalheiro.

"Mariniii Sophia nº11"

Leiam este post ao som de http://www.youtube.com/watch?v=wJRh0PlWB6g

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Filosofar
Filosofar é experimentar
Conhecer o vazio interior
Preenchê-lo de entendimento
Sua essencia é questionar
Seu caractér é o amor
A sabedoria ultrapassa o conhecimento;
Filosofar é actividade
Analisa o factor existencial
Se estabelece pela razão
Busca a verdade
Usa o particular e o universal
Para chegae à conclusão
Filosofar é reflectir a grandeza
É tomar consciência
Transformar a miséria humana
A vida tem sua natureza
Apresenta referência
Confere a irmana.
de José Damião Limeira
Postado por Cármen Júlio
nº6

Sensualidade, envolvente num pedaço de amor, carregado de calor.

" Tango is ma vita "

.

é filosofico.

- (marina nº11)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

"Beauty and the Beast"


Aqui estou... sentada em frente a um ecrã que me diverte nos tempos de ócio. Leio as novas entradas do blog, enquanto ouço a música mais bela que alguém inventou (incrivelmente não pertence a uma banda Metal). A música termina e deixa um cheirinho a nostalgia no ar. É tão cativante o duo que ouvia momentos antes, é tão doce a letra que me inspirava, é tão romântico, tão único, tão impossível...



Coloco-a de novo, não consigo parar de a repetir, ela ecoa perene na minha mente e não quer sair, não me deixa em paz... Eu não quero que me abandone!!!!! Mas porquê? Porquê?



Talvez porque quando a ouço perco-me num Mundo único, um Mundo desejado por todos, mas raramente alcançado: o Mundo da imaginação e de todas aquelas histórias que nos apaixonam simplesmente por termos consciência de serem irreais, de serem um Conto de Fadas. Amo-as desde pequena, e quanto mais cresço e me torno adulta, com maior fervor as amo. Queria viver numa delas, queria deixar de me preocupar com todas aquelas atitudes da raça Humana adulta, queria deixar de andar na rua com medo, queria deixar de olhar para a televisão e contactar com a dura realidade da Vida.

O meu sonho é esfregar uma Lâmpada Mágica e descobrir um génio dentro dela, chorar num canto do quarto e das minhas lágrimas surgir a minha fada madrinha, entrar numa floresta sombria e embrenhar-me no Mundo dos Elfos e das Fadas, encontrar um Monstro que se transforma em Príncipe,... eu queria viver neste Mundo, mas é impossível, e quanto mais anseio por isso, mais infeliz deixo meu coração!!!!!!



Logo, para ser feliz, nunca poderei deixar de ser criança e, sobretudo, de sonhar!!!!!



Já agora, esta é a minha música:

Verónica Fraga nº18
Saudade
Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos
saudades de todas as conversas jogadas fora,
as descobertas que fizemos,
dos sonhos que tivemos,
dos tantos risos e momentos que compartilhamos.
Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia,
das vésperas de finais de semana.
de finais de ano,
enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino,
ou or algum desentendimento, segue a sua vida, talvez
continuemos a nos encontrar, quem sabe... nos e-mails trocados.
Podemos nos telefonar conversar algumas bobagens...
Aí os dias vão passar, meses... anos...
até este contacto tornar-se cada vez mais raro.
Vamos nos perder no tempo...
Um dia nossos filhos
verão aquelas fotografias e perguntarão:
Quem são aquelas pessoas?
Diremos... que eram nossos amigos.
E... vai doer tanto!
Foram meus amigos, foi com eles que vivi
os melhores anos da minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente...
Quando o nosso grupo estiver incompleto...
nos reuniremos para o último adeus de um amigo.
E entra lágrimas nos abraçaremos.
Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante,
Por fim, cada um vai para seu lado
para continuar a sua vidinha isolada do passado.
E nos perderemos no tempo...
Por isso... daqui fica um pedido deste humilde amigo:
não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidadessejam a causa de grandes tempestades...
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se moressem todos os meus amigos!
Fernando Pessoa
Postado por: Cármen Júlio
Nº6

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Ai, Palavras








Ai, palavras, ai palavras,



que estranha potência, a vossa!



Ai, palavras, ai palavras,



sois o vento, ides no vento,



e, em tão rápida existência,



tudo se forma e transforma!



Sois de vento, ides no vento,



e quedais, com sorte nova!



Ai, palavras, ai palavras,



que estranha potência, a vossa!



Todo o sentido da vida



principia à vossa porta;



o mel do amor cristaliza



seu perfume em vossa rosa;



sois o sonho e sois audácia,



calúnia, fúria, derrota…



A liberdade das almas,



ai! com letras se elabora…



E dos venenos humanos



sois a mais fina retorta:



frágil como o vidro



e mais que o são poderosa!



Reis, impérios, povos, tempos,



pelo vosso impulso rodam…



Cecília Meireles




( Postei aqui este poema, pois ele fala do bom e do mau uso da palavra, o que está contextualizado na âmbito na matéria que estamos a dar.)










Carla Vieira nº5

Vermelho


A primeira coisa que me vem á cabeça, são rosas...
Rosas Vermelhas, sinal de amor ou paixão,
este sentimento forte, ardente, fogoso e por vezes fatal que nos incendeia por dentro.
O fogo das nossas vidas que acende o que de mais obscuro temos dentro de nós!
Forte bate o meu coração (vermelho),
bombeia o sangue que me mantém viva só para te ver meu amor.
Emoção constante da emoção do primeiro olhar, o primeiro beijo, o primeiro:
Eu AMO-TE, com sinceridade..


Oh sangue derramado pelo amor martirizado,
O sangue de guerras travadas e de lutas desarmadas.
Amor vil que nos encandeias com os teus simples gestos que nos fascinam.
Mas para que falar de tristezas??
Se a vida é um mar de rosas que nos alimenta dos seus mais belos frutos.
Morangos??
:) Porque não! Haverá fruto mais doce e delicioso para ser colhido no seio das nossas aventuras!?

Apaga as mágoas que guardas dentro de ti, REVIVE, começa uma nova etapa!
Luta pelos teus desejos!
Liberta a atitude que tens dentro de ti, e todo esse ressentimento.

Sê Feliz! Vive como se amanha fosse o teu ultimo dia...
Vamos dar cor á nossa vida!
Sugestão: (Morangos c/chantilly) ^^



Susana nº14

terça-feira, 18 de novembro de 2008

resumo

Resumo de aula de filosofia sobre argumentação.

Marina e veronica.

:)

Mickey!!!Mickey!!!


Hoje, o Mickey faz 80 anos : )
Dedico este post á Amanda pois ele ama tanto este bonequinho inofensivo e bonitinho .
Beijinhu.
Marina nº11

Sem Título

Eis uma prosa que eu gostava muito de saber como escrever- Falar dos meus íntimos enganos e íntimas sensações.
Gostava de poder saber falar muda e calada.Gostava de poder ter o dom de cativar alguém de tal maneira que me pudesse fazer parar de ver o quanto os meus olhos choram na almofada à noite e o quanto ainda vou, dessas contas salgadas que secam a pele e que fazem arder a córnea de tão seca que fica quando cerramos as pálpebras, verter pela minha face.
Dói o peito que, lentamente, vai levando com chuviscos de lâminas velozes.
Grito para o céu.Não por acreditar que algo divino existe mas, por apenas gostar de o fazer, talvez por me lembrar momentos felizes ou noites nas estrelas que passei, ainda que imaginárias.
Parece que afinal o que queria dizer não era " gostava muito de saber como escrever" porque afinal, sei.Acho, então, que "exprimir para o mundo" (e não para o papel) era sim, o que realmente não me sentia apta a fazer.
Assim, desabafo na minha prosa, na minha angústia desenterrada.Não vou esquecer a minha tristeza.Ela e', simplesmente, inesquecível!


Lenny nr7

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

(...)

Às vezes paro e penso...
Será que há "para sempre?"
Chego a várias conclusões...
Há dias em que chego à conclusão que para sempre é demasiado absoluto, outros em que penso que o para sempre somos nós que o fazemos... Mas nunca chego a uma resposta concreta...
Talvez porque desde o dia em que perdi uma das pessoas mais importantes da minha vida, deixei de acreditar, mais nada faz sentido...

Só acredito que o que é verdadeiro perdura,independentemente de tudo.
...
E voçes?
Acham que o "para sempre" existe??
Ana Pimenta nº3

domingo, 16 de novembro de 2008

Nothing Else Matters - Metallica

So close no matter how far

Couldn't be much more from the heart

Forever trusting who we are

And nothing else matters

Never opened myself this way

Life is ours, we live it our way

All these words I don't just say

And nothing else matters

Trust I seek and I find in you

Every day for us something new

Open mind for a different view

And nothing else matters

Never cared for what they do

Never cared for what they know

But I know

So close no matter how far

Couldn't be much more from the heart

Forever trusting who we are

And nothing else matters

Never cared for what they do

Never cared for what they know

But I know

I Never opened myself this way

Life is ours, we live it our way

All these words I don't just say

And nothing else matters

Trust I seek and I find in you

Every day for us something new

Open mind for a different view

And nothing else matters

Never cared for what they say

Never cared for games they play

Never cared for what they do

Never cared for what they know

And I know, yeah!

So close no matter how far

Couldn't be much more from the heart

Forever trusting who we are

And nothing else matters

- Considero esta música profunda e filosófica, toca na alma.

Verónica Fraga nº18

American History X

O filme que me fez entender o quão curta é a vida para ser desperdiçada em estúpidos preconceitos e em incompreensão....

O Ser Humano é mais do que uma cor....

O Ser Humano é o milagre do Mundo....


Verónica Fraga nº18

sábado, 15 de novembro de 2008

marina nº11

A minha música de reflexão-


Hoje é Sábado, passei por aqui e decidi sentar-me.




Gostava tanto de ser bailarina, de esvoaçar entre soluços de alegria, gostava de viver numa caixinha e de afogar lá as minhas mágoas, gostava de trazer alegria para quem abrisse a caixa, porque quero tanto ser bailarina? Porque gosto tanto de musica calminha? Porque que sonho em voar, em ser livre e sentir-me bem , eu sou livre mas não me sinto bem.




Gostava de desenhar para poder ter outra vida , construi-la até, anda comigo, dá-me a mão , anda entra e vê como sou tão pobre, tão triste e tão desassossegada. Anda. Afinal porque , porque choro? Porque tremo enquanto escrevo tudo isto? Porque sou tão frágil?




Talvez porque nunca recebi uma caixinha de bailarina e me tenha deliciado, será?




( desabafo das 21h)


Marina "francesa linda"




Não sei quantas almas tenho


Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,


Atento ao que sou e vejo,

Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.


Por isso, alheio, vou lendo

Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

- Um poema puramente filosófico, pois questiona o SER, neste dia Mundial da Filosofia. : )

Susana nº14

Friedrich Nietzsche


As Minhas Rosas

Sim! a minha ventura quer dar felicidade;
Não é isso que deseja toda a ventura?
Quereis colher as minhas rosas?
Baixai-vos então, escondei-vos,
Entre as rochas e os espinheiros,
E chupai muitas vezes os dedos.
Porque a minha ventura é maligna,
Porque a minha ventura é pérfida.
Quereis apanhar as minhas rosas?

Sabedoria do Mundo

Não fiques em terreno plano.
Não subas muito alto.
O mais belo olhar sobre o mundo
Está a meia encosta.

Ecce Homo
Sim, sei de onde venho!
Insatisfeito com a labareda
Ardo para me consumir.
Aquilo em que toco torna-se luz,
Carvão aquilo que abandono:
Sou certamente labareda.



Contra as Leis
A partir de hoje penduro ao pescoço
Com uma corda de crina o relógio que marca as horas;
A partir de hoje cessam o curso das estrelas
E do sol, e o canto do galo e a sombra;
E tudo aquilo que a hora nunca anunciou
Está agora mudo, surdo e cego:
Toda a natureza se cala para mim
Diante do tiquetaque da lei e da hora.


Ó Minha Felicidade


Revejo os pombos de São Marcos:
A praça está silenciosa;
ali se repousa a manhã.
Indolentemente envio os meus cantos para o seio da suave frescura,
Como enxames de pombos para o azul
Depois torno a chamá-los
Para prender mais uma rima às suas penas.
— Ó minha felicidade! Ó minha felicidade!


Calmo céu, céu azul-claro, céu de seda,
Planas, protector, sobre o edifício multicor
De que gosto, que digo eu?... Que receio, que invejo...
Como seria feliz bebendo-lhe a alma!
Alguma vez lha devolveria?
Não, não falemos disso, ó maravilha dos olhos!
— Ó minha felicidade! Ó minha felicidade!


Severa torre, que impulso leonino
Te levantou ali, triunfante e sem custo!
Dominas a praça com o som profundo dos teus sinos...
Serias, em francês, o seu «accent aigu»!
Se, como tu, eu ficasse aqui,
Saberia a seda que me prende...
— Ó minha felicidade! Ó minha felicidade!


Afasta-te, música. Deixa primeiro as sombras engrossar
E crescer até à noite escura e tépida.
É ainda muito cedo para ti, os teus arabescos de ouro
Ainda não cintilam no seu esplendor de rosa;
Resta ainda muito dia,
Muito dia para os poetas, fantasmas e solitários.
— Ó minha felicidade! Ó minha felicidade!


in "Gaia Ciência"

Verónica Fraga nº18

Filosofar- Dia mundial da Filosofia

Filosofar é a arte de pensar
aprender
esforço
duvidar
entender
espaço.
Filosofar é experimentar
Conhecer o vazio interior
Preenche-lo de entendimento
Sua essência é questionar
Seu caráter é o amor
A sabedoria ultrapassa o conhecimento.
Filosofar é atividade
Analisa o fator existencial
Se estabelece pela razão
Busca a verdade
Usa o particular e o universal
Para chegar à conclusão.
Filosofar é refletir a grandeza
É tomar consciência
Transformar a miséria humana
A vida tem sua natureza
Apresenta referência
Confere e irmana


de José Damião Limeira


marina nº11

Viva o DIA MUNDIAL DA FILOSOFIA.
15-11-08

Dia Mundial da Filosofia


“A verdadeira filosofia é reaprender a ver o mundo”.
Este dia faz-nos entender que a Filosofia não está morta nem nunca morrerá….a Filosofia faz parte de nós, do nosso dia-a-dia, do nosso subconsciente, da nossa vida!
A filosofia tem como essência da razão, ser a capacidade humana de usar a própria complexidade para representar o mundo e a vida concreta nele inserida.
Filósofos? Dentro de cada um existe um filósofo, cada um a sua maneira, não há um único ser humano que não pense sobre a sua vida, sobre a sua existência, sobre os manifestos da história, ou que não critiquem as visões do que os rodeia! Qualquer pessoa que tente ver a realidade, entender racionalmente a vida, o sentido da existência, a sociedade, as relações humanas, o Universo, enfim, todos os eventos que o cercam, é um Filósofo em potencial, ainda que não possua qualquer instrução significativa.

Filosofia é atitude e não apenas discurso! Filosofia é sabedoria total! A amplitude do seu objecto de estudo é tão vasta, que foge a compreensão de muitas pessoas, que chegam a pensar que a Filosofia é uma actividade inútil. Além disso, o seu significado também é muito distorcido no conhecimento popular, que muitas vezes a reduz a qualquer conjunto simples de ideias específicas (as "filosofias de vida") ou basicamente a um exercício poético.
Quem se dedica à filosofia, procura sabedoria, dedica-se à arte de bem falar, ao “poder” de argumentar e à amizade!
Cada vez mais a ciência tem ultrapassado a Filosofia, mas não a deixe morrer, ela faz parte de ti!
Mychele ^^

15 de Novembro - Dia da Filosofia

O que é a vida sem um sonho??
Ana Pimenta nº3

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Amizade


Para quê descrever se a posso receber e devolver?

Se a posso sentir, mas mal definir?

Amizade...

Talvez confiança, amor, carinho, um pouco de esperança, o nunca estar sozinho.

Para quê descrever?

A Amizade não tem cor ou sabor, altura ou cura...

Não tem idade.

Amizade é respeito e saudade.

É uma palavra amiga que nunca fica perdida...

É uma flor oferecida, uma mão estendida...


Para quê descrever??

Amizade são voçes!


(Obrigada 11ºE)



Ana Pimenta nº3

Discurso na Praça


O rapaz passa pela praça;
o relógio da torre marca o tempo do discurso
que um velhinho se põe a fazer.
E ele grita:
"Amigos, amai-vos,
pois hoje é o dia
em que toda a harmonia
concentra-se de repente
no fundo da gente
e ascende ao limite da mente,
e transborda pelos poros da alma.
Amigos, amai-vos uns aos outros,
pois o amor se é plantado, brota;
e brota como a mais imponente árvore
que alguém já sonhou;
e vai ao encontro do céu,
o infinito espaço real,
para lá de cima deixar
mais
sementes
caírem
sobre a terra do mundo
e sobre mais corações,
transformando-os em terrenos fecundos
do melhor sentimento oriundo
da perfeição magnífica do ser
que somos e não sabemos,
pois tentamos não ver
que a perfeição existe
bem dentro da gente.
Amigos, amai-vos,
pois somos um só todos nós...
Se não vos amai,
seremos ainda um só,
e seremos, que pena, tão sós,
e isso não queremos,
pois então, amai-vos.
"O rapaz até que escutou
o que o homem acabou de dizer,
mas está atrasado, que pena...
não dá tempo de tentar entender.


(por Marques Montanhes)

Susana nº14


Foto tirada por:
Sandra Patricia

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Dos Sábios e dos Outros

Do centro tirou a Filosofia Deus, e aí colocou o homem.
Achava-se Sábio.
E do prazer da interrogação iniciou um caminho. Um caminho de morte. A sua.
Achava-se Sábio e interrogou.
Intorrogou sobre a imortalidade. Elevou a interrogação ao patamar da inovação. Consubstanciou-a em método. E controvérsia o palco da finitude.
Da sua.
Mas, da libertação do corpo ascenderá ao jardim.
Aguarda-o a beautude. Do justo e do perfeito.
Fechou os olhos e viu o Homem.
Ironia.
Do prazer da interrogação sobre a sua imortalidade em alma concebida, surge uma cicuta.
Que ainda assim o leva ao que de melhor o leva a ascender.
E esta convicção lhe confere a seneridade no caminho.
Nasce a vida da morte, e desta nasce aquela, no contínuo ciclo da purificação que se faz este jogo.
E destes contrários, sem devir,quis extrair o argumento para todos convencer.
Os sábios. E os outros.
Deste divir se sustentaria a imortalidade.
A sua. E a dos outros.
Perigosa foi a dialéctica. No final da síntese dos contrários estava a cicuta.
Achava-se o sábio. O mais sábio de entre todos os que mais sábios se achavam.
Nada sabia.
~E dessa consciência retirou a seneridade.
A seneridade do sábio no seu caminho.
Do centro tirou a Religiao o Homem, e aí colocou Deus.
Achava-se o Sábio.
Colocou a tira na testa. E a bomba ao peito.
Rezou e beijou.
Ao final estaria o jardim. O jardim das virgens.
Encaminhou a dor ao local do martírio e matou.
A convicção no seu jardim lhe deu a seneridade
Colocou a tira na testa.
Rezou mas não interrogou.
Fechou os olhos e viu Deus.
O sábio da tira não tem dúvidas.
Sabia tudo.
E a consciência dessa sabedoria lhe deu a seneridade.
S seneridade do sábio no seu caminho.
Do centro tirou a filosofia Deus, e aí colocou o Homem, que voltou a colocar Deus no centro.
Temamos uns e outros.
Osque interrogam. E os que não.
De uns colhemos a inquietude.
Dos ouroa a perigosa convicção.
Temamos os que falam em nome de Deus.
Porque matam e justificam.
Temamos os que interrogam em nome do Homem.
Porque inquietam e não explicam nada.
Nesta dualidade nos encontramos. E nos encontrarenos.
E essa consciência nis dará a precária serenidade do sábio no seu caminho.
Do sábio e dos outros.
Do centro tirou a Filosofia Deus, e aí colocou o Homem, que voltou a colocar no centro... Deus.


Postado por: Cámen Júlio
Nº6 11ºE

poema

A m'assoir sur un banc cinq minutes avec toi
Et regarder les gens tant qu'il en a
Te parler du beau temps, qui mort et qui reviendra
En serrant dans ma main tes petits doigts
Puis donner à buffer à des piegons idiots
Leurs filets des coups de pieds pour de faux
Et entendre tou rire qui lezarde les murs
Qui sait sourtout gérir mes blesures

A marcher sur la pluie cinq minutes avec toi
Ete regarder la vie tant qu'il en a
Te raconter la terre en te bouffet les yeux
Te parlé de ta mére um petit peut
Et entendre ton rire comme on entend la mér
S'arrêter, repartir en arriére

A m'assoir sur un banc cinq minutes avec toi
Et regarder le soleil qui s'en va
Te parler du bon temps, qui mort et je m'en fou
Te dire que les méchants c«est pas nous

Te raconter enfim qu'il faut aimer la vie
Et l'aimer même si
Le temps est assassin
Et emporte avec lui les rires des enfants.


"Arnaud"


Marina nº11


(traduçao encontrár-se-á nos comentarios)

Baile de Máscaras


Porquê esta vida? Porquê esta dor que dilacera? Este cheiro que não me pertence, esta voz que impera?
Um Mundo teatral à minha volta, sorrisos de mágoa, olhares mansos de revolta. Hipocrisia, desconforto, lágrimas,.... AAAAAAHHHHH!!!! Deixem-me livre, viva; deixem-me chorar, gritar, deixem-me agir sem receio de errar ou desiludir. Mas tal não é possível: liberdade? Onde estás tu? Verdade, que é feito de ti? Dou um passo e olho em volta, será que fiz bem? Abro a boca e fecho-a instantaneamente, será que me aceitarão? O Mundo, os Homens, apenas aceitam Máscaras, Máscaras de todos os feitios e cores, e quanto mais vistosas melhor, quanto mais irreais melhor,... Sei que também devo ter as minhas próprias Máscaras, sei que as devo usar, mas será simples?

Beijo a máscara que me cobre, divina, na sua bipolaridade invisível: agora rio, agora não; agora ando, agora corro! Eu, ela: Nós! Invencível dupla que a sociedade exige. A doçura no rosto de uma, a frieza no da outra; nenhuma delas sou eu, aquele ser humano que diz o que pensa sem receio, actua sem preconceitos, deixando que os instintos e a razão se fundam num só, criando uma personalidade sensata, verdadeira, confiável!

Sou um "Eu" moldado pelos Homens insanos e tenebrosos, que amam viver neste alucinante Baile de Máscaras. Se anseio pela sobrevivência, devo fechar os olhos e deixar-me viajar entre sorrisos que nada mais são do que facadas; entre elogios que nada mais são do que palavras depreciativas. Absorverei tudo isto com a máscara mais doce que encontrar e, quando alcançar o topo, nada mais serei do que a máscara fria que guardava dentro de mim; então, nessa altura, mas só nessa altura, na solidão recatada do meu quarto, esconderei as duas máscaras no fundo de um baú degradado e serei Eu, simplesmente Eu!


Conseguirei viver assim, num eterno Baile de Máscaras?

Definitivamente NÃO! e, sendo assim, estou condenada ao insucesso!


Verónica Fraga nº 18

O hoje é assim. E o amanhã será igual?


Hoje, as árvores deixam cair suas folhas,

Hoje, o vento sopra com intensidade,

Hoje, o mundo grita,

Hoje, uma lágrima cai no chão,

Hoje, uma tragédia acontece,

Hoje, uma pessoa morre,

Hoje, uma criança é infeliz,

Hoje, tudo acontece e poderá acontecer!

O hoje, é estranho e imprevisível,

O amanhã será igual.

Na incerteza do mundo e da existência vivemos,

Nela morreremos, sem nunca possuir toda a verdade,

Sem sabermos realmente o que somos para onde vamos...

No mundo, contaremos todos os dias, anos, todos os minutos

Que podemos viver e aproveitar.

Mas, para que serve uma vida destinada a morrer?

Que sentido terá a vida?

Que sentido terá tudo o que no mundo existe?

Talvez sejamos actores temporariamente.

Num mundo de falsidade, de egoísmo, de materialismo,

Talvez sejamos um nada no infinito,

Porque ninguém vive eternamente a não ser o céu.

Esse infinito, para onde olhámos todos os dias, todas as noites,

Esse infinito que todos queremos alcançar.

E alcançare-mos...

Esse dia chegará rapidamente,

Como se a vida nunca tivera existido,

Como se a morte fosse a nossa única vida.

Pois a vida são dois dias, mas a morte...

Essa é eterna!

O hoje é assim, o amanhã será igual,

Se não fizermos nada para o mudar!


Postado por Vera Mónica Teixeira